Analogias e Anomalias

Apesar de as pesquisas científicas serem conduzidas com grande rigor e método, vez ou outra algo foge ao controle no laboratório e o resultado é um desastre – ou uma inovação revolucionária.

Na Indústria Farmacêutica os casos mais célebres são a penicilina e o Viagra, mas outras drogas – como o lítio, por exemplo – também foram descobertos acidentalmente, assim como tratamentos inovadores – como a eletroconvulsoterapia.

Auto iluminado by Kutsche

Uma recente pesquisa mostrou que, entre 1985 e 2005, quase metade dos vencedores do Prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia creditaram parte do seu trabalho à sorte1.

Acredita-se, contudo, que este número tende a ser maior, já que muitos cientistas não assumem a colaboração do acaso em seus trabalhos, para não terem que dividir seus créditos com tão iletrado colega.

O problema é que o acidente dá uma resposta pronta. A tarefa do cientista é buscar a pergunta. Se a resposta é "o voluntário teve uma ereção", a pergunta correta seria "que problema este medicamento resolve?". Seek the question that fits the answer.

É entender de onde vem a anomalia. É buscar algo que se pareça com aquilo. Nas palavras do Dr. Morton Meyrs2: "Pessoas criativas tendem a levar analogias e anomalias a niveis mais elevados. Eles têm o dom de ver diferenças similares e similaridades diferentes (…)."

Quem são e onde estão estas pessoas na sua empresa?

____________________

1. Austin, Devin e Sullivan. Accidental Innovation (Harvard Business School working paper 06-206, 2006).

2. Happy Accidents: Serendipity in Modern Medical Breakthroughs, (Arcade Publishing, 2008).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *